“FC Porto foi a melhor equipa que já treinei”

O técnico de futebol José Mourinho fez a revelação na Faculdade de Motricidade Humana (FMH), após ter sido agraciado com o doutoramento “honoris causa”.

Lusa/23 de março de 2009

O técnico de futebol José Mourinho revelou hoje que o FC Porto foi a “melhor equipa” que já treinou e que os quatro anos que passou no FC Barcelona foram “fundamentais” para a sua carreira.

Em conferência de imprensa na Faculdade de Motricidade Humana (FMH), após ter sido agraciado com o doutoramento “honoris causa”, Mourinho falou da “paixão à primeira vista” que teve quando ingressou no Chelsea e referiu que vencer o campeonato italiano será o “título mais difícil” da carreira.

“Se o FC Porto fosse um clube de um país com outro poder económico podia ter feito uma época marcante na Europa. Aquela equipa foi a melhor que já treinei. Foi destruída devido a factores económicos”, disse o técnico, referindo à sua passagem pelos “dragões” em 2002/2003 e 2003/2004, que culminou com a conquista da Liga dos Campeões.

Actualmente no comando do Inter de Milão, José Mourinho, vestido a rigor com típico traje académico de doutorado, recordou também a passagem pelo FC Barcelona, onde foi treinador adjunto do inglês Bobby Robson e do holandês Van Gaal.

“Fui mais influenciado pela filosofia do “Barça” do que por algum treinador. Foram quatro anos da minha vida absolutamente fundamentais”, afirmou.

Na faculdade onde há 20 anos tirou o curso superior de Educação Física, Mourinho revelou que a sua saída do Benfica, o primeiro clube em que esteve como técnico principal, foi igualmente um “ponto marcante” na sua vida profissional.

“Sai com frustração, era o início da minha carreira e era uma oportunidade grande. Foi um ponto marcante pois mostrei a mim próprio que não tinha medo do risco. Enviei uma mensagem a mim próprio para não ter medo do futuro e não perder a minha identidade”, lembrou.

Ao receber o “honoris causa”, o técnico assume que agora “tem mais responsabilidades” mas uma coisa é certa: não quer ser tratado por doutor.

“Não quero e nem faz parte da minha personalidade. Vou passar a ser o mesmo que fui até hoje mas com mais responsabilidades”, disse Mourinho, recordando os seus tempos de estudante na FMH, onde dava “grandes secas aos professores” porque queria aprender e “não ter apenas nota para passar as cadeiras”.

O técnico português garantiu que não tem falta de motivação e “continuar a ganhar” e relevou que o seu pai, Mourinho Felix, tem sido “determinante” na sua carreira.

“Confesso que não é fácil entrar no futebol com o nome de alguém que já está no futebol. Sinto isso com o meu próprio filho. Já vive sobre a pressão de ser filho de quem é. Por isso admiro tanto o Rui Águas e o Maldini, que conseguiram viver com o peso dessa pressão e chegaram onde chegaram”, referiu.

No final da conferência de imprensa, Mourinho afirmou que espera colaborar mais com a FMH e deixou um recado aos “miúdos” que estudam actualmente na faculdade.

“O Mundo é tão competitivo, agressivo, desgastante, egoísta e durante o tempo que passamos aqui temos que ser tudo menos isso”, concluiu.

Lusa/Expresso

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s